top of page
Buscar
  • Foto do escritorJoalheria Alternativa

CONHEÇA A MAGIA DO NATAL EM DIFERENTES CULTURAS


Brinco Gota Rubi Índia Prince



Você sabe a origem do Natal? E porque é uma festa tão mágica? O Natal carrega muitos simbolismos e diversas formas de comemoração ao redor do mundo.


O Natal teve origem em festas pagãs que eram realizadas na antiguidade. Nessa data, os romanos celebravam a chegada do inverno (solstício de inverno). Eles cultuavam o Deus Sol (natalis invicti Solis) e ainda realizavam dias de festividades com o intuito de renovação.


A partir do século IV, e com a consolidação do Cristianismo, a festividade foi oficializada como Natale Domini (Natal do Senhor). Como não se sabe ao certo o dia em que Jesus nasceu, essa foi uma forma de cristianizar as festas pagãs romanas, dando-lhes uma nova simbologia.


A escolha da data foi determinada pelo Papa Julius I (337-352) e, mais tarde, foi declarada feriado nacional pelo Imperador Justiniano, em 529.


O Natal ao redor do mundo

Em muitos lugares comemora-se o nascimento de Jesus. No entanto, cada país celebra o dia 25 de dezembro à sua maneira, expressando muito a sua identidade.

No Brasil e em toda a América a celebração do Natal é semelhante. No dia 24 de dezembro, os familiares e amigos se reúnem, árvores de natal são enfeitadas com bolas coloridas, com a estrela de Belém no topo. O presépio é montado perto da árvore e as botas são penduradas em diversos lugares da casa. Costuma-se cear perto da meia noite e alguns países participam da Missa do Galo.

Na França, as crianças deixam seus sapatinhos na frente da lareira para que o Papai Noel deixe presentes e doces, como: balas, frutas e nozes. A árvore de Natal é adornada com maçãs, flores de papel e fitas. As comidas incluem frango, ganso e peru recheado.

Na Itália, também são montados presépios e figuras como papai noel, renas e bonecos de neve. A ceia tem carnes, frutas e panetone.


No Japão, devido à ocidentalização, recentemente eles começaram a comemorar o Natal. Eles comem um bolo de Natal e trocam presentes com amigos e familiares para marcar o final do ano.


Nos Estados Unidos, é muito parecido com o Brasil, pois os brasileiros herdaram algumas tradições dos norte-americanos. Além da ceia farta e da troca de presentes, eles guardam a tradição do visco (mistletoe), trazida pelos escoceses e irlandeses. O ramo de visco é pendurado em uma viga da casa com fitas vermelhas e verdes. Antes tinha a função de espantar o mau-olhado e há alguns anos, dizem que quando duas pessoas param debaixo desse ramo precisam se beijar.


Na Suécia e na Noruega, homenageia-se Santa Lucia. No dia 13 de dezembro, a filha mais velha da família é vestida de branco e leva uma coroa de sete velas na cabeça enquanto serve café e bolinhos para todas as pessoas de sua família. Especialmente a Suécia conta os dias até o Natal com um calendário do Advento (Adventskalender), a ideia é contar os dias até o Natal a partir de 1º de dezembro que se baseia numa antiga tradição no cristianismo, de esperar por Jesus.


Na Alemanha, os preparativos começam oficialmente no dia 6 de dezembro, quando é comemorado o Dia do Papai Noel. A decoração das casas é importante para os alemães, há uma grande variedade de luzes, anjinhos e árvores. Na refeição natalina tem ganso, pato ou carpa como prato principal. Outra diferença é o tradicional Adventskranz, uma guirlanda com quatro velas. A cada domingo que precede o Natal, uma vela é acesa durante um café da tarde com familiares e amigos. Em vez de panetone, o povo da Alemanha come o Christstollen, que é um bolo com frutas cristalizadas e marzipan.


Na Irlanda, uma das tradições mais importantes são as velas. Os irlandeses colocam uma grande vela branca na entrada da casa, que é acesa pelo menor da família no Dia de Natal. É um símbolo para receber a Sagrada Família e só poderá ser apagada por uma criança ou mulher chamada Maria.


Os judeus, não comemoram o Natal. Na noite do dia 24 de dezembro, os judeus celebram o Hanukkah, que do hebraico significa festa das luzes. Esta data marca a vitória do povo judeu sobre os gregos conquistada, há dois mil anos, em uma batalha pela liberdade de poder seguir sua religião.


Os muçulmanos, mantêm uma relação de respeito, apesar de a data não ser considerada sagrada para a sua crença.


Os indianos, especialmente os budistas, não comemoram o nascimento de Jesus, mas admiram as qualidades daqueles que lutam pela humanidade e, por isso, respeitam a figura de Jesus Cristo, que para eles é considerado um “Bodhisattva” – um santo ou aquele que ama a humanidade a ponto de se sacrificar por ela. Para os budistas ocidentais, o dia 25 de Dezembro tem um cunho não cristão, mas sim, espiritual.


O Natal tem uma enorme magia, pois desperta diversos sentimentos, como: generosidade, misericórdia, perdão, solidariedade. Independente das crenças e tradições, o fim do ano, especialmente o Natal, carrega inúmeros simbolismos. Marca o fechamento de um ciclo, propicia momentos de reflexão e mudanças de atitudes.


Nós temos joias de diferentes origens para você aproveitar o Natal vivenciando diversas culturas, como da Grécia, Índia, Japão, China, Egito e MUITO MAIS. Confira!


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page